Bem vindo ao site do STRUP

BOLETIM NACIONAL DO TRABALHADOR RODOVIÁRIO

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
scroll back to top
Actualizado em Segunda, 06 Abril 2015 21:23
 

AOS TRABALHADORES DA TST

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

LEVAR À PRÁTICA AS DECISÕES DO PLENÁRIO

O plenário geral de trabalhadores da Transportes Sul do Tejo, reuniu em ação de protesto, junto à delegação de Almada da Autoridade para as Condições de Trabalho, tendo decidido:

1. Continuar a luta por melhores salários;

2. Continuar a luta, nas suas diferentes formas, contra o Tempo de Disponibilidade;

3. Denunciar junto do ACT/Almada a manutenção ilegal por parte da administração da TST, na aplicação dos tempos de disponibilidade e, reclamar a sua intervenção;

4. Reclamar para os tribunais, com base nos recibos já entregues já entregues ao sindicato, para que estes decidam do comportamento da administração da empresa no que concerne ao tempo de disponibilidade;

5. Reunir a organização sindical da empresa (dirigentes e delegados sindicais do STRUP), para organizar uma semana de contactos com os trabalhadores, levando-lhes propostas concretas de continuação da luta,

6. Realizar uma campanha de informação junto dos utentes quanto às razões que levam os trabalhadores à luta e denúncia dos motivos que levam a administração da empresa a prestar um mau serviço às populações.

Destas decisões, foram já concretizadas a denúncia ao ACT/Almada e a reunião de dirigentes e delegados sindicais.

scroll back to top
Actualizado em Sábado, 28 Março 2015 14:29 Continuar...
 

A TODOS OS TRABALHADORES DA EVA TRANSPORTES

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

PLENÁRIOS DE TRABALHADORES DECIDEM
PROSSEGUIR COM CADERNO REIVINDICATIVO

Os trabalhadores da EVA TRANSPORTES, presentes nos plenários realizados em Faro e Portimão no passado dia 7 de Março de 2015, condenaram a atitude da administração da empresa em retirar o aumento de 0,45 cêntimos diários que seriam aplicados à generalidade dos trabalhadores.
O facto, da administração ter reposto o pagamento do trabalho suplementar nos termos da lei, ainda que pago como tempo de disponibilidade, não justifica esta atitude e apenas demonstra que durante um largo período foi ao bolso dos trabalhadores mesmo que protegida por uma decisão do governo.
Trata-se apenas de uma reposição e não acrescenta nada ao poder de compra perdido pelos trabalhadores, pelo que a atitude da administração da empresa, ao dar o dito por não dito quanto ao aumento para a generalidade dos trabalhadores é a todos os níveis condenável e que insatisfaz e prejudica, todos os trabalhadores mas mais uns que outros.

TRABALHADORES QUEIXAM-SE DE EXCESSO DE ROUBOS
Para além do roubo que até o dia 1 de Janeiro vinha sendo aplicado aos trabalhadores da EVA TRANSPORTES, consubstanciado na redução do pagamento do acréscimo do trabalho suplementar, existe hoje a consciência coletiva de que lhes estão a ir ao bolso de outras formas, como por exemplo:

scroll back to top
Actualizado em Sábado, 28 Março 2015 14:23 Continuar...
 

AOS TRABALHADORES DA BARRAQUEIRO TRANSPORTES

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

COMO SEMPRE A MONTANHA PARIU UM RATO

Decorridas inúmeras reuniões de negociação para a criação de um novo Acordo de Empresa, a Administração da BT, colocada perante a forte possibilidade de concretizar um acordo, face ao grande empenho negocial por parte da comissão sindical negociadora e à falta de argumentos válidos, vem agora transmitir, com dois meses de atraso, que remete a negociação para a ANTROP, associação patronal onde é filiada.

MÁ - FÉ e FALTA de ÉTICA

Aquando do início desta etapa para a criação de um AE, a FECTRANS, oportunamente, transmitiu aos representantes da Barraqueiro Transportes que tinha iniciado conversações com a ANTROP com vista à elaboração de um novo CCTV para o setor. E, na altura questionámos a Barraqueiro de qual seria a sua posição face a esta situação.
A resposta da Barraqueiro (ou dos seus representantes) foi clara e inequívoca “ o nosso objetivo é criar um Acordo de Empresa para todos os trabalhadores desta empresa”.
Como é possível que volvido tanto tempo, depois de tantas reuniões a negociar o referido A.E., venha agora de forma desgarrada dizer que o trabalho feito fica a aguardar o que vier a resultar do processo em curso com a ANTROP?

scroll back to top
Actualizado em Sábado, 28 Março 2015 14:18 Continuar...
 

AOS TRABALHADORES DO METROPOLITANO DE LISBOA

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

LAMENTAMOS…RESPONDEMOS COM A LUTA!

Ontem durante o período de greve fomos presenteados com uma missiva do presidente do CA, a qual não podemos deixar em primeiro lugar, de lamentar, pois o que seria expectável e desejável, seria a reunião com todas as ORT’s do ML, para que em tempo útil ultrapassássemos muitos dos problemas concretos dos trabalhadores de uma das empresas para a qual foi nomeado pelo Governo para gerir.

Mas quando a analisamos com muita atenção, rapidamente concluímos que esta é demagógica, intimidatória e sobretudo revela desconhecimento da capacidade de análise e compreensão dos trabalhadores.

scroll back to top
Actualizado em Terça, 17 Março 2015 15:23 Continuar...
 

AOS TRABALHADORES DA TST

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

PLENÁRIO GERAL/CONCENTRAÇÃO

16 Março - 10h - ACT de Almada

Com a luta sindical conseguiu-se repor o valor do pagamento do trabalho extraordinário, mas ainda existem reivindicações sem resposta, como por exemplo o aumento dos salários e o fim da redução de remuneração por via da implementação do tempo de disponibilidade.
Quanto ao aumento dos salários, ainda não ouvimos nenhum trabalhador dizer que está contente com o acto de gestão de 0,21€/dia implementado pela administração e, por isso, continua a haver todas as razões para os trabalhadores lutarem, para exigirem um salário justo e digno.

LER COMUNICADO COMPLETO

scroll back to top
Actualizado em Quinta, 12 Março 2015 10:37
 

AOS TRABALHADORES DO METROPOLITANO DE LISBOA

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Redobrar a atenção, acreditar em quem nos defende, intensificar a luta!
 
Como é do conhecimento de todos, decorreu na passada sexta-feira dia 6, um plenário geral de trabalhadores, no qual se analisou e discutiu a situação social na empresa, e onde se decidiu uma deslocação ao gabinete da directora da RHC, Dra. Margarida Loureiro, à qual transmitimos que junto do presidente do CA tentasse demonstrar, o sentimento dos trabalhadores, mostrando a necessidade de remarcação da reunião que sob a capa de falsos pretextos tinha sido desconvocada.
Quisemos acreditar, que pela primeira vez desde que tomaram posse, fosse dado um sinal em tempo útil, de vontade de sanar o conflito e repor a legalidade. Relembramos que a empresa tinha ficado de responder a problemas concretos já elencados e discutidos, na reunião de 19 de Fevereiro com a RHC.
Contudo, fomos obrigados a inferir, que embora esta fosse a vontade dos trabalhadores o mesmo não foi entendido por quem foi nomeado para administrar o ML, pois a resposta tardou, mas veio negativa sob o falso pretexto de que “não negoceiam com lutas marcadas”.
Uma vez mais reiteramos: o que está em questão não é passível de negociação; exigimos a reposição da legalidade no que respeita às faltas, nomeadamente na forma abusiva como têm sido classificadas; tolerâncias; férias; pagamento de tempo extraordinário e feriados; em suma exigimos o cumprimento do nosso AE e o respeito pelos trabalhadores, principalmente no que se reporta às condições de trabalho e ao respeito pela negociação colectiva.

scroll back to top
Actualizado em Quinta, 12 Março 2015 10:40 Continuar...
 
<< Início < Anterior 11 12 13 14 15 16 17 Seguinte > Final >>

Pág. 16 de 17
Faixa publicitária

Autenticação


Faixa publicitária

.:: ALTERAÇÃO MORADA SEDE ::.

Av. Álvares Cabral, nº 21, 1250-015 lisboa

Utilizadores on-line

Temos 22 visitantes em linha

DESTAQUES FECTRANS

Governo/administração da IP têm que tirar ilações da greve de hoje
Os trabalhadores das empresas do universo da IP (IP–Infraestruturas de Portugal; IP-Engenharia; IP-Telecom: IP-Património) estão hoje a dar uma forte resposta à intransigência da administração destas empresas, que se recusou a encontrar uma solução para evitar a greve e o agravamento do conflito.

DESTAQUES CGTP-IN

Tribunal de Trabalho condena rodoviária Ribatejana Verde
O Tribunal de Trabalho veio confirmar a decisão da ACT e condenar, novamente, a empresa Ribatejana Verde por desrespeito para com os direitos sindicais, nomeadamente a interpretação abusiva quanto à atribuição de tempos para exercer a actividade sindical.

..:: Protocolos STRUP ::..