Entrada Informação e Propaganda Acções / Lutas / Greves RESOLUÇÃO DOS TRABALHADORES DA TST

RESOLUÇÃO DOS TRABALHADORES DA TST

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

RESOLUÇÃO


Considerando que mais uma vez, a administração da TST encerrou o processo de revisão do Acordo de Empresa, sem acordo, aplicando por ato de gestão uma atualização salarial apenas com incidência na tabela de 1% o que equivale a um aumento mensal de 6,30 €;

Considerando que em relação a todas as rúbricas de expressão pecuniária com particular destaque para as diuturnidades e subsídio de refeição, não se verifica qualquer atualização desde há mais de 15 anos;

Considerando que a empresa continua a ignorar a lei em vigor em relação à utilização do denominado tempo de disponibilidade bem como à forma do seu pagamento em prejuízo dos trabalhadores;

Considerando que a empresa continua a ignorar o direito já vencido pelos trabalhadores relativamente aos descansos compensatórios pelo trabalho suplementar prestado, mantendo a divida, e pagando aos trabalhadores apenas quando estes recorrem para o tribunal;

Considerando que alguns motoristas, devidamente escalados pelos serviços da empresa, não lhes é possível iniciar o trabalho diário por falta de viatura para o efeito;

Considerando que o direito à Formação Profissional, não está a ser respeitado pela empresa, provocando avultados custos aos trabalhadores;

Considerando que, não obstante as denuncias efetuadas aos representantes da administração e às Camaras Municipais relativamente às zonas problemáticas onde os trabalhadores motoristas se sentem inseguros por terem sido alvo de violência física e moral por parte dos utentes, nada se alterou;

Considerando que a atividade prestada pela empresa aos utentes é cada vez mais reduzida em consequência dos sucessivos cortes diários de carreiras que deixa pessoas sem transporte por um lado e aumenta para o dobro ou o triplo o tempo de espera nas paragens, por outro, provocados por uma imobilização da frota que ronda as 90 viaturas;

Os trabalhadores da Transportes Sul do Tejo, reunidos em plenário geral no dia 15 de Março, na sede da empresa no Laranjeiro, pelas 10.00 horas, decidiram o seguinte:

1. Não dar por encerrado o presente processo de revisão do Acordo de Empresa, reclamando a intervenção da Direção Geral das Relações Coletivas de Trabalho e reiterando a diferença em falta entre o ato de gestão unilateralmente aplicado pela empresa e o aumento na tabela salarial de 40 € por trabalhador proposto pela FECTRANS.

2. Reclamar da empresa uma atualização de 4 % em todas as rúbricas de expressão pecuniária uma vez que estas se encontram completamente desatualizadas.

3. Exigir que a administração da TST, cumpra o acordo feito pelo STRUP e pela ANTROP no que respeita à forma de utilização e de pagamento do tempo de disponibilidade.

4. Reclamar a aplicação imediata do Protocolo assinado pelo STRUP e pela ANTROP que possibilita a reclamação imediata por parte de todos os trabalhadores de todos os créditos vencidos relativos aos descansos compensatórios.

5. Exigir o pagamento do subsídio de Agente único, nas situações e pelo tempo em que os trabalhadores motoristas ficam impedidos de realizar o trabalho para o qual foram escalados por falta de viatura.

6. Reclamar a aplicação do acordo feito entre o STRUP e a ANTROP relativamente ao direito à Formação Profissional dos trabalhadores.

7. Reclamar da administração da TST e das Camaras Municipais medidas preventivas que salvaguardem a realização do trabalho por parte dos motoristas, em condições de segurança nas zonas socialmente problemáticas, já identificadas como é o caso da carreira nº 149.

8. Informar os utentes das razões que estão subjacentes ao mau serviço prestado pela empresa através da distribuição de uma tarjeta e denunciar junto dos grupos parlamentares da Assembleia da Republica e das Camaras Municipais, da situação existente na TST que determina um mau serviço protestado às populações.

9. Mandatam a sua organização sindical, o STRUP, para que no decorrer do processo de revisão do AE, em fase de conciliação, voltar a realizar novo plenário com os trabalhadores logo que se verifique necessário.

Laranjeiro, 15 de Março de 2016

O PLENÁRIO GERAL DE TRABALHADORES DA TST

scroll back to top
Actualizado em Quarta, 16 Março 2016 17:00  
Faixa publicitária
Faixa publicitária

Autenticação


Faixa publicitária

.:: ALTERAÇÃO MORADA SEDE ::.

Av. Álvares Cabral, nº 21, 1250-015 lisboa

..:: Protocolos STRUP ::..