CARTA ABERTA

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Carta aberta


Aos trabalhadores do setor privado de passageiros


Decorridos 6 meses após a publicação do novo Contrato Coletivo de Trabalho (CCTV) para os trabalhadores do setor privado de passageiros, importa fazer um balanço geral, tanto mais que este acordo celebrado entre o STRUP e a ANTROP e publicado em 28 de dezembro de 2015, foi objeto de muita desinformação que visou essencialmente pôr em causa a idoneidade do STRUP.


Como sempre dissemos e assumimos em todos os plenários realizados com os trabalhadores, este novo CCTV não só substituía e atualizava o anterior que datava de 1999, como era resultado de uma necessidade premente de combate à concorrência desleal entre as empresas deste setor com todas as consequências negativas que daí resultavam para os trabalhadores.


Tanto assim é que por exemplo, em matéria de salários, as diferenças existentes entre empresas, situavam-se entre o salário mínimo nacional e os 604,00 € que a ANTROP tinha em 2011 recomendado aos seus associados que pagassem como tabela salarial mínima.


Certamente muitos trabalhadores estarão lembrados, porque foram inundados por uma campanha de desinformação interpretada principalmente pelo STRUN e pelo SNM que, este novo CCTV era um acordo de traição porque eliminava direitos dos trabalhadores, regulava o tempo de disponibilidade e outras barbaridades que infelizmente confundiram muitos trabalhadores levando-os mesmo a mudarem de sindicato.


Trataram-se de atoardas, mentiras e jogos de palavras que o tempo demonstrou não corresponderem à realidade que os trabalhadores iam vivendo nas suas empresas.


Essa realidade foi substancialmente melhorada pela capacidade de uma organização sindical que em matéria de Contratação Coletiva e de Negociação, não aceita nem recebe lições de ninguém. Não é por acaso que somos o maior sindicato de transportes em Portugal.


Afinal este tão desastroso acordo feito pelo STRUP em dezembro de 2015, foi já integralmente subscrito por mais 3 organizações sindicais, e pasme-se, entre elas está o SNM, o mesmo que nos havia apelidado de traidores. LEMBRAM-SE!


Como sempre dissemos e agora reafirmamos, mais uma vez o STRUP e a FECTRANS foram protagonistas de uma importante negociação coletiva que apenas favoreceu os trabalhadores do setor de transportes privados de passageiros e veio inclusivamente acautelar (em caso de caducidade da convenção coletiva) os direitos dos trabalhadores que hoje estão neste setor, mas aos quais se aplica um Acordo de Empresa.


Pode não ter sido tudo perfeito aliás, não existem contratos coletivos de trabalho perfeitos, foi assim no passado será assim no presente e no futuro, mas uma coisa é certa, os trabalhadores saíram beneficiados com este novo CCTV e cá estaremos para que com os trabalhadores, melhorarmos o que for possível melhorar porque a luta pela melhoria das condições de vida e de trabalho, essa, é eterna.

NÃO TE DEIXES ENGANAR
SINDICALIZA-TE NO STRUP

scroll back to top
Actualizado em Quinta, 12 Maio 2016 12:03  
Faixa publicitária

Autenticação


Faixa publicitária

.:: ALTERAÇÃO MORADA SEDE ::.

Av. Álvares Cabral, nº 21, 1250-015 lisboa

..:: Protocolos STRUP ::..