Trabalhadores da Rodoviária do Tejo exigem fim do ‘lay-off’

Trabalhadores do grupo liderado pela Rodoviária do Tejo concentraram-se junto à sede, em Torres Novas, para exigir o fim do ‘lay-off’, no passado dia dia 8 de julho de 2020.

As razões desta manifestação do protesto prendem-se com o facto de, nesta fase, não se justificar que estas empresas mantenham os seus trabalhadores em lay-off;

Retomada a normalidade após o período de confinamento, a oferta do transporte publico de passageiros, deve retomar também a sua normalidade o que infelizmente não está a acontecer com prejuízos para a saúde dos utentes e com prejuízos para os trabalhadores que viram ao longo de 4 meses a sua capacidade de ganho substancialmente reduzida.

Acresce que, o mesmo grupo (Barraqueiro), trata os seus trabalhadores de forma descriminatória uma vez que, a uns paga entre 900,00 e 1.000 € e a outros como é a situação dos trabalhadores deste agrupamento, paga entre 530,00 e 570,00 €.

Por outro lado, a administração da empresa tem-se recusado sistematicamente a dialogar com o STRUP, não tendo até à data respondido a uma proposta reivindicativa entregue em fevereiro deste ano.

Tal situação, obriga os trabalhadores, face ao descontentamento generalizado, a exigir o fim do lay-off, injustificado e a reabertura urgente das negociações da revisão salarial.

Será nestes termos que a moção aprovada pelos trabalhadores será de imediato entregue à administração.  

09.07.2020

powered by social2s