AOS TRABALHADORES DOS TST

(COMUNICADO CONJUNTO)

Como é do conhecimento geral, estas ORT’s têm vindo a negociar com a TST a regularização dos créditos já vencidos no tempo. Como foi o caso dos Descansos Compensatórios e dos Proporcionais, e agora como é o caso da regularização dos créditos vencidos respeitantes às folgas já trabalhadas.

As partes (ORT’s e TST) pretendem que sejam saldadas todas as dívidas que se encontram com o trabalho prestado em dias de descanso semanal (complementar e obrigatório) e o pagamento dos descansos compensatórios entretantos já vencidos pela prestação de trabalho em dias de descanso semanal.

Para tal a TST enviou à ORT’s uma proposta para efeitos de acordo/formalização dos termos do pagamento desses créditos.

As ORT’s, após a devida análise da proposta então recebida, enviaram conjuntamente à TST uma resposta a dar conta que não se opunham à proposta então apresentada, desde que fosse considerada uma pequena alteração no texto apresentado 
Sempre com a devida salvaguarda (nem poderia ser doutra forma) de que o eventual acordo firmado entre as partes apenas é indicativo e numa poderá ser aplicado de forma impositiva a nenhum trabalhador.
O Acordo entre os TST e cada Trabalhador só poderá existir se as partes o aceitarem livremente e de forma consciente.
Este eventual Acordo não prejudica o Direito que cabe a cada Trabalhador em se socorrer das vias legais, caso entenda que o Acordo de princípios alcançado pelas partes não lhes seja favorável.

11-11-2021

powered by social2s

metrolisboa

powered by social2s

CartazTVDE03Novembro2021 2

powered by social2s

Realizou-se ontem a reunião com a ANTROP para discussão da proposta sindical comum, terminando a reunião sem conclusões, embora em posições distantes, que da parte da associação patronal não respondem às reivindicações dos trabalhadores.

No entanto a ANTROP comprometeu-se a colocar por escrito aquilo que são as suas propostas até ao final desta semana, embora a corresponderem ao discurso feito na reunião, aos trabalhadores só resta a continuação da luta.

Também a TRANSDEV se comprometeu a entregar uma proposta por escrito até ao final desta semana.

Foi com a luta que algumas empresas avançaram já com actos de gestão, embora insuficientes para responderem à valorização dos salários que o distancie do SMN – Salário Mínimo Nacional.

A proposta sindical comum, que resultou da discussão com os trabalhadores é:

  1. O aumento imediato do salário base do motorista para 750€;
  2. Que o salário dos demais trabalhadores tenha uma actualização na mesma percentagem;
  3. Haja uma actualização do subsídio de refeição nos mesmos termos percentuais do aumento do salário do motorista;
  4. Se proceda à redução do intervalo de descanso para o máximo de 2 horas.

 

powered by social2s