AOS TRABALHADORES DO SETOR PRIVADO DE PASSAGEIROS

Sobre a situação excepcional que atravessa o nosso país importa referir que ainda não tinham vencido o primeiro mês de dificuldades, e já grande parte do patronato do Setor Privado de Passageiros empurrava trabalhadores para férias forçadas sem qualquer legitimidade.

Na maior parte destas empresas, foram acumulando lucros ao longo dos anos, e já gritam ao Governo para lhes “pagar a conta”!

As empresas sabiam que não iriam resolver o problema com o gozo de férias, com licenças forçadas, ou até licenças sem vencimento, porque este período se avizinha longo, e os trabalhadores não iriam aguentar assumir o prejuízo. Uns pressionados, outros levados pela boa vontade, certo é que várias empresas apagaram dos seus trabalhadores muitos dias de férias.

Colocar um trabalhador em casa sem rendimentos, sem que esteja protegido nos seus rendimentos, e não esteja definida a sua situação deve de imediato ser reportada ao Sindicato através do email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

LERCOMUNICADO COMPLETO

powered by social2s