AOS TRABALHADORES DOS TRANSPORTES

RODOVIÁRIOS E URBANOS

O STRUP continua a acompanhar diariamente com muita preocupação o desenrolar da crise pandémica provocada pelo “COVID-19”, mas ainda com mais apreensão, o ataque sem precedentes que está a ser feito aos direitos dos trabalhadores, desde logo através da redução do seu rendimento disponível.
Não é possível, que o Governo seja tão rápido a produzir legislação de apoio às grandes empresas, sem salvaguardar o estrito cumprimento da garantia dos postos de trabalho, bem como num momento de grande fragilidade para os trabalhadores e suas famílias, a garantia do pagamento do total dos seus rendimentos mensais.
Podemos afirmar com certeza, que não são os trabalhadores os responsáveis por esta crise pandémica, que não deveria ser a segurança social para a qual os trabalhadores mensalmente também contribuem, a assegurar o que deveria ser a obrigação do Estado.

Como é possível alguém aceitar que empresas que há décadas, têm somado milhões de lucros à custa da exploração dos trabalhadores, das indemnizações compensatórias para prestação do serviço público que saem do bolso de todos os contribuintes e há menos de um mês do anuncio do estado de emergência estejam todos “de mão estendida”, pedindo que o estado assegure mais de metade dos salários dos trabalhadores, ou seja assuma as responsabilidades de cada uma das empresas, leia-se Grupos Económicos.
O STRUP irá continuar a acompanhar o desenrolar de todas as situações e apela aos trabalhadores para independentemente do setor, nomeadamente; setor publico empresarial, privado de passageiros, mercadorias, táxi, escolas condução, centros de inspeção automóvel ou mesmo os associados que trabalham fora do sector, nos façam chegar todos os problemas e duvidas, através dos delegados ou dirigentes ou dos contactos que estão no nosso site, sobre:
- LAYOFF;
- Férias forçadas;
- Reduções de retribuição;
- Despedimentos fraudulentos.
É verdade, que estamos em estado de emergência nacional, que lutamos contra um inimigo invisível, para o qual o STRUP não tem solução, mas apela a que todos os Trabalhadores cumpram as orientações da DGS e obriguem o patronato a cumprir.
Mas em bom rigor, é também verdade que temos de lutar pela defesa dos direitos dos Trabalhadores, contra inimigos, esses sim, que o STRUP conhece de longa data, com a certeza que pode ser difícil, e a isso, já estamos habituados, mas a vitória será seguramente dos Trabalhadores.
É tempo de lembrar uma citação que usámos muitas vezes num passado não muito distante:
Quem luta nem sempre ganha… Mas quem não luta perde sempre!”
O STRUP está presente, cá continuamos e continuaremos, na linha da frente em defesa do cumprimento, dos direitos dos trabalhadores e da contratação coletiva.
O STRUP disponibiliza informação do interesse dos trabalhadores em geral, no seu site em www.strup.pt, na sua página do FACEBOOK EM S.T.R.U.P e nas páginas especificas de cada empresa e subsector de actividade que podem ser encontradas no FACEBOOK, como por exemplo: RODOVIÁRIA DE LISBOA/STRUP
A Direção
Lisboa, 1 Abril 2020

powered by social2s